sábado, 16 de outubro de 2010

Odeio levar cantada na rua

Se tem uma coisa que me irrita é ouvir o clássico “tá com a autoestima baixa? Passa na frente de uma obra!”. E sabem por que? Acho um saco levar cantada na rua. Homem que anda por aí gritando gracejos, para mim, não tem classe nenhuma. Considero agressivo, grosseiro, feio. Há quem goste, vamos ser democráticos, mas não é o meu caso.

Ontem, indo almoçar, caminhando pela Rua Heitor Penteado, na Vila Madalena, São Paulo, ouvi uma cantada ridícula (não vou falar qual, vocês são chiquérrimos e não merecem), que terminou com “Au-Au!”. Gente, como diria Waldick Soriano, eu não sou cachorro não!!! Onde já se viu isso? Gostaria de ter chamado um guarda e mandado prender. Me poupe, senhor estúpido forever, da sua falta de educação. E guarde os seus fetiches sexuais para o momento e a companhia adequados. Não dá para botar a cabeça para fora do carro e gritar para uma mulher que anda na rua olhando para a frente uma coisa dessas.

Pronto falei.

Bom sábado para todos e todas. De preferência sem gente chata falando bobagem em via pública.

Isabela – A Divorciada

15 comentários:

Tuka Siqueira disse...

Isso me fez lembrar de uma história antiga: uma tia minha, trintona na época, caminhava na rua quando um rapaz passou por ela e fez aquele tradicional som de quem chupa a baba que escorre da boca (nojento) e disse com toda a sua boa educação (oi?) "tesão!" Ela, sem se abalar, continuou caminhando enquanto gritava: "dá o c* que passa!"
Eu e meu primo que vínhamos logo atrás caimos na gargalhada da cara que tipo ficou.
Pra mim ficou o exemplo da presença de espírito dela, respondendo de bate-pronto uma grosseria com outra a altura.

16 de outubro de 2010 00:44
Tati disse...

Eu gosto, mas depende do tom. Uma vez estava eu naquele "dia do cabelo ruim"..kkk indo ao banco, a pé, com pensamentos suicidas, sapato apertado, qdo paro em um cruzamento uma caminhoneiro, carregado de cilindros de oxigênio e sem espaço nenhum, para e pergunta se quero carona, eu cai na gargalhada.. eu até aceitaria pois estava vendo estrelas com aquele sapato, mas não tinha espaço, agradeci e ele ficou surpreso, riu tbém e seguiu seu rumo.

P.s: Que meu marido não leia este post..rsrs.

16 de outubro de 2010 09:31
Accácia disse...

Acho que sempre depende tb da cantada...mas cantada de baixo nível e sem o menor glamour(tipo a que vc recebeu) é o fim da picada!!
Acaba com a semana de qq uma de nós!
beijo!

16 de outubro de 2010 10:18
Evelin disse...

Também tenho uma historinha para contar: estava caminhando com uma amiga quando ela avistou homens trabalhando em uma construção. Ela disse "aiii, eles vão mecher com a gente e agora? odeio!".

Disse para ela não ligar e para nos seguirmos em frente.

Adivinhem: ninguém falou NADA!!!!hahah

Ela saiu com uma cara de tristeza profunda para minha supresa e disse-me "estamos muito feias!".

Pode? Ainda me diz que estou feia! hahaha

Não disse nada para não piorar né já que ela estava arrasada rsrs

Quanto a mim, de verdade, ODEIO ESSAS CANTADAS DE RUA, apesar de ter umas bem divertidas para contar rsr.

Beijos Bela

16 de outubro de 2010 12:10
Bruna Angeli disse...

Nossa ODEIO essas cantadas baratas!!
Dias desses passando em frente um PF que tem no caminho do Restaurante que costumo almoçar na semana, ouvi uma assim:
" E aí Filé, vamos ali em **Itararé para tomar um Baré"

Aff!!! Juro não mereço! rsr

(**Itararé - Um bairro de Vitória!)

16 de outubro de 2010 14:53
Patricia Digue disse...

Eu também detesto. É como se as mulheres estivessem em uma vitrine, pagando o preço por terem se livrado do enclaustro privado para a vida pública. Puro machismo acharem que têm esse direito. A minha tática quando vejo um bando de marmanjos prestes a soltar uma graça é passar com segurança sem desviar do meu caminho, às vezes isso quebra a perna deles e até evita que soltem uma palavra chula. Abaixo a esse tipo de constrangimento que nós mulheres precisamos enfrentar a cada esquina. Bjs e bom final de semana a todas.
Patrícia, a solteira

16 de outubro de 2010 15:35
Anônimo disse...

Tá podendo em Divorciada!!! rsrsrs

E realmente constrangedor este tipo de comportamento, e em plena rua!!! onde já se viu???
Como para mim este tipo de tratamento é estranho, já que, ao flertar com as senhoritas que cruzo pelo mundo, eu declamo Baudelaire, ou Viniciu ou Neruda... ou então cito alguma passagem de alguma obra do Truffaut ou Kurosawa... Então digo para vocês, Vedetta!!! uma dolorosa Vedetta. Façam os homens sentirem do seu próprio veneno...
Ao cruzarem na rua com um mancêbo falem para ele - "você é o ovo que faltava em minha marmita" ou "com um pacote de bolacha e um cara desse eu passava o mês inteiro" ou ainda "vem cá tomar leitinho no pires, vem..."
E não esquerçam de fazer gestos para a humilhação ser maior. Os homens vão se sentir horriveis pelo resto do dia.
E não achem que isto é se rebaixar ou algo do tipo... é se postar com firmeza e atitude diante do mundo como faria Simone de Beauvoir.
Isto é uma Vedetta! e em uma Vedetta que se preze não há espaço para escrupulos...!!!

Bom fim de semana minhas cara.

O Ogro.

16 de outubro de 2010 16:57
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Eu acho o máximo!
Costumo mandar beijos de volta!
=P

deb, a única 3x30 que adora ser chamada de "DELÍIIIICIA" ns rua

16 de outubro de 2010 21:45
Blog Sozinha ou Acompanhada disse...

Bela,

Eu também amo levar cantada na rua! Amooooo! Hahahaha. Acho engraçado e não levo a mal, não. Como diria Xico Sá "nada como passear na feira"

Beijos,

Irma

17 de outubro de 2010 14:05
alessandra rocha disse...

Depende de minha "lua", vezes gosto, outras não... confesso que me divirto com a falta de criatividade dos moços e senhores ( algus terceira idade kkkk)
Outro dia:
- Vc tem filhos?
Eu:
- Tenho.
- Nem parece...
Então da onde ele teve a idéia de perguntar sobre a possibilide de eu ter filhos ??? Que idéia!
Na boate:
- Quero beijar na sua boca.
Eu:
- Obrigada, eu não quero.
Minutos depois, ele beija uma morena ao lado e volta pra cochichar no meu ouvido:
- Que pena... vc era minha primeira opção!
E eu com isso??? Se já disse que não queria..será que ele acha que me importaria???KKKKKKK
Mais pra mim a campeã é a " Você é o ovo que faltava na minha marmita". Quem disse que algum dia eu sonhei em ser o ovo da marmita de um alguém??? No mínimo o prato principal de um restaurante a la carte...kkkkk

beijos

17 de outubro de 2010 14:42
Blog Sozinha ou Acompanhada disse...

hahahahaha...ai Belinha... agora estou mesmo morrendo de curiosidade! Quero muito saber o que o sujeito gritou! Eu até que acho meio engraçado as cantadas, mas tem algumas que ninguém merece! Acho ruim quando são muito grosseiros mas de maneira geral me divirto!
beijocas queridona!
Desculpe o sumiço....
Mari

19 de outubro de 2010 11:36
Mente Inquieta disse...

Tenho uma história com o mesma tema, quem puder dar uma passada lá para conhecer: http://blogmenteinquieta.blogspot.com/2010/10/paixao-nacional.html

22 de outubro de 2010 16:45
Anônimo disse...

Muito me impressiona que ainda tenha gente que goste de ser chamada de delicia por desconhecidos. É por causa de vocês que eu tenho que ouvir essa porcaria constantemente. É muita falta de auto-estima pra ser verdade, e olha que eu nem tenho muita, mas acho é extremamente incomodo ser aborrecida o tempo todo por esse tipo de atitude.

14 de novembro de 2012 19:04
Nina disse...

Tive uma experiência muito engraçada rs.... Eu estava passando na rua e estava falando no celular com uma amiga minha, na minha frente vinham dois homens (logo percebi o quão nojento eles eram e já tava esperando a cantada), quando eles tavam perto de cruzar por mim eu logo soltei no telefone: "ah amiga, meu irmão que é da policia foi atrás e matou.. acho que não precisava matar né?" KKKKKKKKKKKKKKKKKK vocês precisavam ter visto a cara deles dois de pânico!!

12 de abril de 2013 15:02
Anônimo disse...

Concordo com a Anônima acima. Odeio imensamente ser abordada nas ruas com essas porcarias. Não entendo como alguém possa gostar de ser chamada de delícia por um estranho.

6 de maio de 2015 16:42